Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Um mês de Yoga

Andava muito indecisa em regressar ao exercicio físico. Sofro de dores nas costas e a família materna é toda dada a ter problemas ósseos. A minha mãe diz-me "Cuida-te agora" e eu precisava de voltar ao activo. Díficil era encontrar o sítio com o horário adequado e o preçário também. Estive para voltar ao pilates noutro ginásio mas o horário era a sentença para correr tudo mal.

Um dia tive que ir à farmácia e vi uma senhora com o seu tapete entrar para um loja esotérica ao lado. Fui lá buscar informações e na aula seguinte lá estava eu, sentada no meu tapete, de pernas cruzadas, a iniciar o Yoga.

 

Foi sempre algo que quis fazer. Seguia videos no youtube e ia fazendo em casa mas nunca sabia se estaria a fazer bem, portanto as aulas seriam importantes. Aqui e acolá lia beneficios sobre a prática e tornar a ter flexibilidade era algo que gostava muito. O meu receio era se as aulas seriam demasiado zen e acabar por me aborrecer mas felizmente o professor não é nada zen e ajuda a desafiar-nos a cada exercício. Adoro as posições de equilibrio e do primeiro exercício da aula: Sentar e relaxar, respirar fundo e acalmar, porque, na grande maioria das vezes, chego à aula a correr e sabe muito bem fazer esse exercício.

 

E como o desafio é desafiar-nos, entre outras posições, esta é um grande objetivo:

dragonfly-pose.jpg

A posição do Gafanhoto ou Parsva Bhuja Dandasana ou Maksikanagasa

(lá para 2030, com certeza...)

 

namaste.jpg

 

8 comentários

Comentar post