Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

O sismo de hoje. E se fosse mesmo muito forte?

15.01.18, a tótó

Bom, uma pessoa anda há três dezenas de anos no mundo e num espaço de 5 meses já senti 2 sismos. O de hoje não senti tanto, até porque o epicentro foi mais longe.

 

Estava a espera de um técnico, estava um frio desgraçado naquela terra e aproveitei o sol e encostei-me a uma parede a apanhar banhos de sol. De repente ouvi portões a abanar mas pensei que fosse alguém a mexer num portão, mas a parede onde estava encostada também abanou e fiquei naquela "Oh lá, temos sismo outra vez?"

 

Mas continuei à espera do técnico, tranquilamente, até que a minha patroa liga a perguntar se estava tudo bem e eu disse que sim e começou toda acelerada a dizer que tinha havido um tremor de terra e que abanou tudo e que a filha estava em casa a chorar (20 anos). Desta vez não me assustei tanto, simplesmente desencostei-me da parede e pronto, fiquei à espera, a desejar que não houvesse outro e que o homem aparecesse.

 

Mas e se fosse a uma escala muito superior? Foi 4.9 em Arraiolos, eu estou para ai a 200 Km de distância. Mas e se fosse mais? O que faria? O que aconteceria? Estamos preparados?

 

A discussão continua mas eu acho que não se faz grande coisa em relação a isso. A nivel de construção continua-se a achar que o mais importante é a cor do azulejo a combinar com o mosaico. E a nivel de segurança humana acho que não se faz sensibilização ou pelo menos não se faz a adequada para estarmos mais preparados para estas situações.

 

Envio-vos o link de um projecto português  o KnowRisk. Visitem.

 

home-logo.png

 

 

6 comentários

Comentar post