Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Gemada, ainda alguém come? E caldo de farinha?

21.08.18, a tótó

Lembrei-me ontem de gemada e caldo de farinha e como eu gostava de comer aquilo.

 

Batia vigoramente o ovo com o açúcar, até ficar com uma textura fofinha...comia à colherada...passava fatia de pão na caneca, para não se desperdiçar nada. 

 

A minha mãe fazia-nos o caldo de farinha. Eu deixava sempre embolar, ela não, deixava-a sempre lisinha, não havia cá grumos. Aquele saborzinho a limão...tão bom...

 

Dantes tinha direito a um bollycao quando ia ao supermercado de sábado a sábado e se me portasse bem, ou a um bolinho que a minha mãe trazia do trabalho, na sua balalaica e que me deixava a pular de alegria.

 

No almoço de domingo nos sogros, falávamos dos doces e das crianças, dos pais que torcem o nariz ao chocolatinho, à goma, ao bolinho, à bolachinha maria, ao pão, que enchem os ouvidos dos miúdos com "olha que ficas gorda(o)", aos avós que acham isso um capricho dos pais e enfardam as crianças com tudo o que é doce. 

 

Passámos do 8 ao 80. Vamos ao hipermercado e são prateleiras cheias de açúcar espalhadas por todo o lado, uma tentação para os miúdos que não ficam em casa porque fazem uma birra descomunal nos corredores, porque querem o brinquedo ou o chocolate!

 

Não posso ter uma opinião assertiva, afinal não tenho filhos e quando os tiver, se os tiver, vou querer que eles sejam saudáveis obviamente e que comam de tudo e não vou dizer que não ao chocolate e à bolacha e ao bolo. Mas eu já fui criança e sei como é bom comer doces, queremos sempre mais e as crianças não sabem os limites. Agora na idade de criar uma criança sei como não é benéfico tanto açúcar e não faço a mais pálida ideia como se metem limites nas crianças a este nível.

 

 

Bom, se calhar o melhor é não ter nada doce em casa e deixar isso para os avós. Assim, tiram a barriga de miséria.

 

Ou então, faço-lhe gemadas...e caldos de farinha...para enganar as papilas...

 

antigamente.jpg

 

 

 

13 comentários

Comentar post