Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Da Saga 10 Year Challenge

Não posso participar no desafio do momento, os 10 YEAR CHALLENGE, como TóTó, porque esta criatura nasceu há quase 2 anos. Não vou mostrar fotos minhas porque continuo a querer manter o anonimato mas posso dizer o que andava a fazer em Janeiro de 2009 e o que se sucedeu. 

 

Terminei a licenciatura em dezembro de 2008. Comecei a enviar e entregar currículos logo a seguir. Fui à vila onde moro agora, de autocarro, entrei no prédio, deixei o papel com a assistente, agradeci e voltei à minha vidinha e ao autocarro. Recebo o telefonema. "Estou a precisar de alguém, venha ter comigo amanhã. - Bora lá!"

Fiquei. 

Foram quase 4 anos. Uma amiga (a assistente), um afilhado, conhecimento, um carro e... 

 

Voltando atrás. 

Enquanto estudei vivi numa cidade, bem longe da minha aldeia. Fui sozinha. Desenrasquei-me. E gostava daquela paz pois as coisas em casa não eram as melhores e eu precisava muito de voar. E ali era eu, só eu. O último ano foi um rodopio. Eu não sossegava. Tinha uma série de disciplinas atrasadas mais as do ano curricular e tinha um objectivo, terminar tudo em 2008! Ainda juntei tirar a carta de condução. Fiquei apta em maio e a 18 de Dezembro  foi o último exame da faculdade. Passei. Terminou tudo. 

Disse adeus à cidade e voltei às raízes. 

 

Comecei a trabalhar e passado pouco tempo comecei a sentir-me mal. Falta de ar. Uns suores frios. Tonturas. Uma tristeza e aflições sobre mim. 

Custou-me muito. Comecei a tomar comprimidos. E a tentar esquecer que aquilo me estava a acontecer. Fui prisioneira de mim própria. 

Mas  as coisas acabaram por acalmar um pouco mas nunca dei completamente a volta...

 

Hoje, com uma casa, outro carro, o mesmo amor, as mesmas amizades e muita coisa pelo meio, encontro-me no mesmo rodopio. A fase final, o querer terminar tudo depressa mas agora o medo alia-se. "E se voltar tudo outra vez quando o meu corpo parar e a mente descansar?"

 

Então é preciso pensar mas de uma forma pró-activa, sem medos, sem inseguranças. Porque o que aí vem ninguém sabe e sofrer por antecipação é meio caminho para regredir no tempo, a 10 anos atrás.

healing.jpg

 

2 comentários

Comentar post