Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Confiança, valor perdido?!

14.06.21, a tótó

Sempre fui de guardar segredos, podiam dizer-me o que quisessem, pedir-me segredo e ele ficava ali, trancado a sete chaves. Há muitos anos que ninguém me pedia para "não contar a ninguém", mas no outro dia voltei a ser confidente. Por um lado sabe bem, quer dizer que transpareço confiança, mas por outro, sinto-me mal por perceber que, para aquela pessoa, há outras próximas dela e de mim, que não o são, e que para mim sempre foram.

E isto deixa-me a pensar se, não devia eu guardar as minhas confidências, como passei a fazer numa determinada altura da minha vida, quando me tornei num "bicho-do-mato".  Sim, parva eu sou, que por vezes falo da minha vida, a acreditar que posso falar à vontade, sem segredos. Mas se calhar não devia. E hoje, numa espécie de procura de respostas por causa da vacinação, voltei a desbocar-me toda. Só depois de me aperceber, martirizei-me mentalmente: "Porquê?"

Até que ponto podemos deixar que as pessoas entrem na nossa vida? Mesmo que as tomemos como boas amigas?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.