Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Desafio de escrita dos Pássaros #2.1 - Acho que a coisa não vai correr bem

31.01.20, a tótó

Mas...mas como é que eu vim aqui parar? Eu lembro-me de estar no sofá, estava a ver o filme Joy... Ok, espera, talvez tenha adormecido e isto seja só mais um sonho, sou uma fábrica de sonhos, a dormir e acordada. Foi a minha mente que me trouxe para aqui.

Olha, um pássaro! Tão giro. É de um azul tão bonito. Acho que nunca tinha visto um pássaro assim. Vou ver se consigo ver mais de perto para tirar uma fotografia.

Ai, que susto! Outro pássaro igual. Que espécie de ave será esta? Vou pesquisar no google. Oh, caramba, parece que na minha mente não há Internet. Bem, quando acordar procuro. É que são realmente muito bonitos. Talvez um dia se tiver uma moradia com jardim, possa ter um passarinho assim tão bonito.

Que barulho é este? Oh, que mancha é aquela? Não consigo ver bem, o sol está mesmo forte. Tão lindos, parecem que estão a brincar um com o outro. Este sonho é mesmo tranquilo, não tem nada a ver com os sonhos dos últimos dias, sempre a correr, sempre a fugir de algo, acordo transpirada e tudo.

Mas que raio, tanto barulho, isto não é normal. O que será? A mancha está mesmo a vir para aqui, mas não parece ser uma nuvem. Olha, vem aí outro pássaro igual, vem ter com os amiguinhos, tão fofos. Olha, outro. Outro. E outro. Ó não!! A mancha está a descer. São tantos! Wow, vêm todos para esta árvore!! Acho que a coisa não vai correr bem. Vou pôr-me mas é a mexeeeeerrrrrrrrr.

 

E assim começa a minha aventura no Desafio de escrita dos Pássaros versão 2.

Pré desafio de escrita dos pássaros - Perdi a cabeça e vou juntar-me à passarada

30.01.20, a tótó

No primeiro desafio não fui a tempo das inscrições, aliás, só me apercebi um pouco mais tarde quando já estavam a publicar, fui-me entusiasmando com o desafio e desta vez achei que devia participar também.

Gosto muito de escrever. Na escola primária fazer composições era a minha parte preferida dos trabalhos para casa. Inventava histórias muito engraçadas. Fui recebendo diários como presentes e escrevia todos os dias como tinha sido o meu dia. No 2.º ciclo, a escola decidiu criar um jornal escolar e para participar tivemos o desafio de escrever um texto sobre qualquer coisa. Fui uma das vencedoras do desafio e dei o nome ao jornal - Gatafunho. Lembro-me que na altura fiquei aborrecida porque não me mencionaram na origem do nome mas foi uma fase gira.
Continuei com os meus diários. As minhas paixonetas estão todas naquelas linhas. No secundário, a coisa esmoreceu. Simplesmente não conseguia escrever bem. Escrever o que era suposto bloqueava-me e cheguei mesmo a ter negativas nos testes de português. Foi um choque para mim e aborreci-me com a escrita. Mais tarde decidi que ter um blogue podia ser divertido, mas comecei mal, numa má altura e acabei por apagá-los.

Há quase 3 anos, em conversa com o J. decidi criar este espaço de lamúrias e devaneios, onde também gosto de participar em desafios, cheguei a realizar o meu desafio da escrita. E agora participar neste, é a minha cara.

 

Venha daí essa criatividade!

Os meus passos para deixar de RECLAMAR.

16.01.20, a tótó

A maior parte das vezes não percebo que estou a reclamar. Juro. Mas a verdade é que já me chamaram a atenção para isso. E passei a estar mais atenta. Eu realmente reclamo muito e agora que tomo consciência disso, depois de reclamar, até me sinto embaraçada. E digo para mim mesma "Lá estás tu outra vez, hirra!"

Para quê?

Tenho mesmo que parar com isto. Não sei como se sentem as outras pessoas, mas, apesar de muitas vezes ser em tom de brincadeira, posso estar a ser uma causa de stress. Gostava de ser daquele tipo de pessoa que fala sobre as coisas sem o tom de reclamação, ou simplesmente retém as situações, debruçasse sobre elas e só depois poderá ou não dar a sua opinião. Opinião e não reclamação. Qualquer coisa como diz a imagem seguinte. 

 

Pris Cardozo 📸 on Instagram_ “Assim como o tr

 

O que eu acho que devo fazer para contornar a situação:

 

- Ter consciência de quando vem à mente e estancar o pensamento. Se achar viável, digo, se achar perda de tempo, calo-me;

-Anotar as reclamações feitas diariamente e ver o progresso;

-Treinar formas de dizer o mesmo mas sem dar aquele tom de reclamação;

-Ao ouvir reclamações de outras pessoas, estar atento mas sem argumentar,sem me colocar do lado delas com a mesma intensidade.;

-Passar a agradecer mais. 

 

Mais um objetivo de vida apontado e para concretizar.

 

E vocês, reclamam muito ou fogem disso? 

Pág. 1/2