Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Agradecer sempre, para o bem e para o mal

22.09.19, a tótó

A história dos hambúrgueres e do Cristiano Ronaldo é um ato tão bonito e tão simples de gratidão. 

 

Há gente que passa nas nossas vidas e a quem devemos agradecer o facto de não sermos como elas, são pessoas que acabam por nos afastar delas, para nossa felicidade.

Há outras, que nos mostram o que é ser bom e queremos ser um bocadinho como elas. 

 

Felizmente nasci no seio de uma família com bons princípios de gratidão e devoção ao outro, por vezes não é algo bom para os dias de hoje mas no meio de tanta toxicidade, julgo que seja uma raridade haver ainda pessoas assim. 

 

Agradecer.jpg

Não sou perfeita. Mas acho que sou boa pessoa.

Por isso sou grata a quem me ensinou a ser assim. As pessoas boas e as pessoas menos boas. 

Porque nunca sabemos o dia de amanhã, e muita gente esquece-se disso. 

O que eu tenho para vos contar...

17.09.19, a tótó

Já tinha saudades deste canto, acho que até fico rabugenta quando fico muito tempo longe daqui.

 

Então, o que é que eu tenho para vos contar?

Bom, não há assim nada de especialíssimo mas aqui vai.

 

Estou um ano mais velha e a velhice mostra-me que as más posições estão a fazer mazelas no corpinho. Para além disso, estou a ver os meus "bebés" da família a crescer, a ganhar asas, uns a ir para o secundário, outros para a faculdade, a caminho de ter carta de condução, outros a irem estudar para longe de casa, sozinhos. ai que aperto. ai que velha que estou. O que vale é que ainda há uns bébés para brincar e dar beijos e apertos. Pronto, e a velhice também traz a pressão social , não é?

 

Voltei à feira alternativa. Fiz um rastreio à coluna e o j. ofereceu-me o livro para acabar com dores nas costas. Não é que esteja muito mal mas a verdade é que o nosso corpo é uma coisa fantástica e neglicenciamo-lo tanto. Então eu andei naquela semana com dores horriveis nas costas, na zona do pescoço e a meio das costas e eu só pensava que isto era cervical e massajava onde me doia, esticava-me, alongava, comecei a sentir formigueiro nos pés e fui a correr tomar um comprimido. Neste rastreio, o resultado foi problemas na lombar. Pois, cá mais para baixo, onde nunca me doeu.

 

Assisti a concertos. Rita Redshoes. D.A.M.A e Pedro Abrunhosa. Gostei de todos mas o Abrunhosa é muito show, Foi espetacular! Recomendo!

 

Encontrei diários, textos, fotografias, eu sei lá, tantas coisas do passado, da adolescência, que foi a fase mais marcante para mim. E foi tão bom. É tão bom recordar coisas boas.

 

Pintei as unhas de uma cor que na manhã seguinte a pintar estava enjoada de olhar para elas mas brevemente vai fora o verniz!

 

Vi a nova temporada de Supermães. Vi a nova temporada de Elite. Vi o filme Amor e uma Estalagem que me deu uma ideia para a tese.

Sim, eu tenho tratado da tese, não com a intensidade que deveria mas ando de volta dela. Até porque tem mesmo que ser, já sairam umas notitas da conta para as propinas.

 

Tenho sido rabujenta. Tenho rido muito. Não tenho tido crises. Tenho conseguido afastar pensamentos menos bons. Tenho dormido mal e passado muitos dias cheia de sono.

 

O trabalho corre bem. Muito trabalho, mas só para alguns. Tenho tido alguns vislumbres do antigo trabalho mas espero estar a livrar-me de determinadas "responsabilidades" e finalmente, poderei respirar fundo. Mas no geral tem sido calmo, ando tranquila, como desejei há alguns meses atrás.

 

Acho que estou verdadeiramente bem, sempre com mil ideias na cabeça. Mas só na cabeça. E vocês, como estão?

 

risada.jpg