Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Cuidado com as distrações no trabalho

25.07.19, a tótó

Não sou uma craque na minha profissão, considero-me algumas vezes desorganizada, muitas vezes esquecida e demasiado insegura. Não tenho memória de elefante, por isso reação rápida em algumas questões não é comigo mas se estou ali para trabalhar é para trabalhar. Se há trabalho urgente, a prioridade é o trabalho, muitas vezes até as pausas para comer e relaxar são esquecidas ou adiadas. Gosto daquele sentimento de dever cumprido, da lista riscada. Dá-me uma enorme satisfação e felicidade.

Muito se lê sobre produtividade e de como as pausas são importantes para descontrair, apanhar ar, pensar noutra coisa qualquer, ou simplesmente parar e sentir a respiração para ganhar mais energia. Aliás, já tinha falado há uns tempos da técnica do Pomodoro, que serve para nos ajudar na disciplina de trabalhar-descansar durante o dia de trabalho, quando há tantas distrações à nossa volta.

Temos muita informação, a internet, as redes sociais entraram-nos pelo sangue, pelo espirito, pela alma e pela mente adentro e vivemos angustiados se não respondermos ao grupo do whatsapp ou àquela amiga do messenger ou se não virmos os últimos 10 minutos do instagram. Mas deixar que isso interfira em questões mais importantes como a família e o emprego é muito desrespeitoso.

No meu novo trabalho tenho um colega que se distrai imenso, posso mesmo dizer que trabalha nas horas de pausa e o resto do tempo é descanso. É claro que são imensas as pessoas que o fazem, principalmente em trabalhos em que não há assim tanto trabalho. Eu faria o mesmo, tive vários dias assim e claro, distraía-me pela internet, fingindo que estava a trabalhar.

Mas quando há uma pilha gigante de processos a realizar, quem se distrai como ele não fica minimamente incomodado? Essas pessoas não têm receio de serem apanhadas pela chefia e ter consequências? Não entendem que estão constantemente a ser chamadas a atenção por erros ou esquecimentos e por isso deviam mudar a atitude?

Isto só me faz pensar nos castigos da criançada: Abusaste, agora ficas de castigo e ficas sem ver TV durante uma semana.

No caso das empresas qualquer dia sai uma lei em que é proibido o uso de telemóvel, à entrada deixamo-lo lá numa caixinha guardado e a ligação à internet passa a ser completamente interdita. (Deve haver empresas assim mas isto passaria a ser obrigatória para todas!)

E depois lá estarão este tipo de pessoas a lamentarem-se que vivemos numa escravatura.

Pois.

Nós é que deixámos de nos comportar de forma ética e só funcionamos quando somos confrontados de forma séria e marcante. No geral.

 

distracaotrab.jpg

 

Nunca tinha visto o programa da Cristina

19.07.19, a tótó

Foi nas minhas férias de verão e já em casa que, depois de ter visto um vídeo da "Lisboa" ( itziar ituño - Casa de Papel) no programa da Cristina, decidi que tinha que espreitar o programa. Naquele dia acordei cedo, tomei o pequeno almoço e estiquei-me no sofá a ver as notícias e entretanto chega a hora do programa. "Ora então vamos lá ver isto." Foi sobre buracos do nosso corpo e como devemos cuidar deles foi um tema bastante interessante que claro, acabou por se escangalhar com o cúmulo da esperança. A Maria Elisa foi convidada e foi com muito gosto que ouvi e vi aquela mulher inspiradora, cheia de garra e que tanto profissionalismo deu ao jornalismo em Portugal. E pensei "Oláaa, este super mulher está sentada no balcão de uma cozinha a beber café e comer queijo com marmelada enquanto conta, resumidamente, a sua história. Wow."

Depois fiquei por ali, tragédias, crimes e coisas do género não são bem a minha onda, não gosto, fico angustiada. Mas as conclusões que retirei foram que se trata de um programa que deve dar muito trabalho a quem está por detrás do que vemos mas mostra uma simplicidade e um à vontade que não se vê nos outros programas. Não começam com o "Bom dia" típico e com o resumo do que ali vai acontecer, nem legendas a anunciar. É como se tivéssemos entrado em casa e há uma conversa a decorrer e nós entramos nela. Se um dia for lá o Cristiano Ronaldo nós não vamos saber, só depois. Assim surpreende sempre, pois é claro. E os temas são sempre interessantes e para todas as idades e não só para a faixa etária que eventualmente pode estar a assistir ao programa em direto, sem ter que por para trás quando chega a casa depois do trabalho. Epá, e tem muitas partes divertidas. 

São estes os pontos positivos na minha opinião mas também tenho os pontos negativos, como o facto de, ao ser uma conversa contínua, se o convidado estiver a falar e de repente o Cláudio Ramos entra em casa a dizer uma parvoíce qualquer, o convidado não fala mais, nem há despedidas e claro, a TV não pode estar com o volume muito alto porque é mesmo uma peixeirada, falam super alto. 

 

Não fiquei fã, não chego a casa e puxo para trás, não dou audiências à Cristina mas a mulher sabe, sabe bem e tem muito bons colaboradores atrás dela.

Parabéns!

 

Cúmulo da Esperança: Por um cagalhão numa gaiola e esperar que ele cante!

 

cristina-ferreira.jpg

 

O resumo das minhas férias de verão.

18.07.19, a tótó

Já vou um pouco atrasada mas não quero deixar de contar como foram as minhas férias de verão. 

Passaram-me à frente e quase que não dei por elas mas já há 4 anos que não tinha umas férias tão sossegadas, não houve trabalho à mistura e ao início foi estranho mas depois foi uma maravilha. A meteorologia é que não ajudou muito mas também não foi mau de todo, deu para ficar com uma corzinha saudável.

Então contando as minhas férias...

 

2019_1.jpg

 

Quando chegámos ao hotel fomos abençoados com um engano. Tinhamos reservado estadia apenas com pequeno almoço por isso achámos estranho o papel que a recepcionista nos colocou à frente com as regras do regime tudo incluído e  em simultâneo, a colocação da pulseira no meu braço. Dissemos que devia ser um engano, ela também não percebeu mas ofereceu a estadia com aquele regime. E é uma maravilha, temos horários fixos mas é um descanso. E no nosso caso, foi uma boa poupança! O quarto não era nada de jeito, mas gente mediana como nós serve perfeitamente, até porque o objetivo era estar o menos tempo possível no quarto. 

O nosso primeiro dia até foi bonzito, fomos à praia, deu para queimar um bocadinho o corpinho mas na nossa segunda manhã fomos surpreendidos com o tempo nublado e fresco, não nos deu vontade nenhuma de fazer praia e decidimos dar uma volta numa cidade vizinha, onde acabámos por almoçar pizza a peso.

2019_2.jpg

2019_3.jpg

O vento e tempo fresco não foi nosso aliado, a água do mar estava geladinha geladinha, só apanhamos uma tarde em que estava mais amena mas o mar estava num alvoroço. 

Demos mais de 10000 passos diários com as nossas longas caminhadas de tarde e à noite. Vimos baratas a passearem-se na calçada, vimos um concerto de uma banda amadora mas cheia de pinta, a invocar músicas antigas e maravilhosas, que andavam bem esquecidas, como é o caso desta:

 

Concluí que tal como muitas outras coisas se modificaram com o tempo e as feiras de rua estão a acompanhar, pois se antes as feiras tinham cheiro a óleo e algodão doce, hoje têm cheiro a nutella. A sério, passei o concerto com o cheiro de nutella no ar e claro, não pude deixar de comer um creme com nutella. Claro que a meio do crepe já estava enjoada mas os miúdos têm mais olhos que barriga, e neste caso, nariz!

Fomos ao casino gastar uns trocos. Comemos bola de Berlim na praia e gelados. Andámos de comboio turistico. Fomos ao cinema ver As Vigaristas. É divertido e vê-se super bem. Já sabem que gosto muito da Anne Hathaway.

 

the-hustle.jpg

Regressámos a casa. Senti saudades de casa. Mas não senti das tarefas domésticas, apesar de não ter passado muito tempo em casa, há sempre coisas a tratar, estar com a família, enfim, reservei o domingo à tarde/noite para simplesmente estender-me no sofá e não fazer mais nada!

E nessas voltas todas, fomos até às Ruínas do Carmo, em Lisboa para ver o Lisbon Under Stars que é um espectáculo maravilhoso. Recomendo muito.

2019_4.jpg

E tudo o que é bom acaba depressa e portanto já estou quase no final de uma semana de trabalho, já no emprego novo. E agora férias? Não faço ideia quando serão.

 

Pág. 1/2