Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

Para Sempre TóTó

TóTó é o nome carinhoso que ele me dá. Ar calmo e sereno versus um turbilhão interior. Serei eu assim, Para Sempre.

ESTUDASSES?

28.01.18, a tótó

Neste momento estou a atravessar a recta final tanto do trabalho como do 1º semestre do mestrado. Do trabalho tenho O cliente que está a dar conta da minha saúde mental, com jogos psicológicos manhosos e pressão estapafúrdia mas a verdade é que isto está a afectar-me bastante, sonho com o trabalho, com conflitos, acordo a pensar no trabalho, em alguma coisa que me esqueci, ou como é que vou tratar de determinado assunto. Acordo em stress, levanto-me e fico num aceleração que não consigo controlar. Noto que o meu corpo está tenso, doi-me as pernas, as costas, o peito, o pescoço, os ombros...

 

Os comprimidos têm-me mantido concentrada e de bom humor, não tenho tido neuras, tenho evitado os outros (SOS) mas acho que não posso evitar mais, devo precisar realmente deles. Estou em SOS.

 

Quanto ao mestrado, por causa de um erro informático e do professor ser um "destrambelhado" de primeira vou a exame na próxima semana sem saber quanto tive no ultimo exame.

 

Dantes a minha profissão tinha fama e proveito, hoje em dia, há empregos mais bem pagos, com menos responsabilidade e chatice, sem necessidade de ter um canudo. Aliás, na minha área, os outros, os que não estudaram, ganham bem mais do que eu e isso é muito desmotivador. Estudar mais faz parte de uma realização pessoal, porque de resto não me vai trazer mais beneficios, não vou passar a ganhar mais por isso nem a ter menos responsabilidade ou chatices.

 

O nosso pais foi evoluindo noutras áreas, apostando, na mão de obra barata, classificando os que são formados em  classes cada vez mais inferiores. Passamos pelo desemprego, por trabalhar noutras áreas, por uma luta suada até termos um lugarzinho. Não é o suficiente, não é o justo mas dá-nos know how, mantém-nos dentro da área. Mas continua a ser injusto. E mais injusto é quando ouvimos "Tens que trabalhar para o merecer" quando no dia seguinte ouvimos a outro colega, o que não tem estudos e chegou ali a meia dúzia de dias, "Para o mês que vem levas mais qualquer coisinha". MAIS? AINDA MAIS?

 

 

ESTUDASSES.jpg

 Não podemos ter todos estudos, há empregos muito mal pagos mesmo sem estudos, há empregos que não precisam de estudos, e são muito importantes para a sociedade, dos empregos que ninguém quer ter, mas a minha geração é das que foram a faculdade, das que passaram ou passam pelo desemprego, pela falta de oportunidades. Não podemos ter tudo de mão beijada, é certo, mas há que nos dar valor, reconhecimento. É injusto pois.

 

 

Questão de segundos!

27.01.18, a tótó

Eu fui fazer o pequeno almoço, espreguiçei-me na cozinha e agradeci por ser fim de semana, de estar sol, apesar do vento, e de poder respirar o meu ar.

 

Estão a ver uma imagem no campo, uma moça de braços abertos, de olhos fechados a levar com o sol na cara e um arco iris gigante no céu?

 

relax.jpg

 

Eu sentia-me essa moça até que...

 

Cheguei à sala e tinha um sms dO cliente. Com um ponto de exclamação no fim. Seguido com outra sms com pontos de interrogação e de exclamação. Vocês sabem o que transmite esta pontuação toda numa sms. 

 

angry.jpg

 

Por favor dêem-me um saco de boxe! Vou colar uma fotografia das trombas dO cliente!!!!!

Recarregar Baterias!

26.01.18, a tótó

FIM.

 

Foi uma semana esgotante, fisicamente, psicologicamente, depois do dia de trabalho de doidos, chegava a casa, tratava de mim, do jantar/almoço, e pegava no trabalho da faculdade.  Para não falar do meu cérebro ter passado todas as noites na rambóia e não me ter deixado descansar como deve ser. 

 

Foi assim todos os dias.

 

Os meus níveis de ansiedade e irritabilidade andam em bons dias mas ontem estava muito acelerada, os clientes simplesmente têm-me tirado do sério. É ridiculo. E assim que meti o rabo no sofá, em vez de descontrair, o meu coração decidiu andar aos pulos. Nem chás de camomila, nem calmantes, foi mesmo com isto, à 1 da madrugada, quando ele chegou:

 

recharge.jpg

 

 

Pág. 1/7